A falácia de “evangélicos” de esquerda

0
324
Gleisi Hoffmann, presidente nacional do Partido dos Trabalhadores (PT), em culto evangélico na igreja Só o Senhor é Deus, em Maringá/Paraná, em 2014 (Foto: Roberta Namour).

Assim como, no meio do povo, surgiram falsos profetas, assim também haverá entre vós falsos mestres, os quais introduzirão, dissimuladamente, heresias destruidoras, até ao ponto de renegarem o Soberano Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina destruição. 2 Pedro 2:01

Falácia, substantivo feminino, qualidade do que é falaz, falsidade. Sua afirmação é uma falsidade. Na filosofia no aristotelismo, qualquer enunciado ou raciocínio falso que tenta simular a veracidade, em resumo apenas sofisma. ”O termo falácia deriva do verbo latino fallere, que significa enganar. Designa-se por falácia um raciocínio errado com aparência de verdadeiro. Na lógica e na retórica, uma falácia é um argumento logicamente incoerente, sem fundamento, inválido ou falho na tentativa de provar eficazmente o que alega”.

Não existe nada mais falso do que “cristão evangélico” socialista. O mérito da questão não é apenas teológico, é filosófico. O marxismo que se manifesta desde o sincero anticristão comunismo, até o simpático e sedutor socialismo, com seu discurso de justiça social, é simplesmente mais do mesmo veneno onde se muda apenas a dosagem e o rótulo.

O princípio filosófico é o materialismo dialético que nega a existência de Deus, do mundo espiritual, do Juízo Final e da vida eterna. É hoje a defesa de pautas progressistas – como aborto, liberação das drogas e ideologia de gênero – que visa destruir o conceito de família. E o uso e abuso do conceito abstrato de um Estado laico, para sufocar a liberdade de expressão dentro do Estado democrático de direito. Não é apenas uma heresia é simplesmente uma incoerência filosófica.

Porém a hegemonia cultural marxista de Antônio Gramsci não despreza o voto do cidadão cristão. E diante de uma eleição, enganar e seduzir o eleitorado evangélico é um golpe necessário para se chegar ao poder. O resultado é o surgimento de candidatos de esquerda que se apresentam como “evangélicos”. E infelizmente eles conseguem enganar a muitos.

Com o naufrágio do Titanic do Partido dos Trabalhadores, o maior partido comunista da história do Brasil, a Esquerda no Brasil passa por uma restruturação, onde o PSOL surge como o herdeiro do legado do PT. O PT é o passado e o PSOL é o futuro da Esquerda. Na essência, o conteúdo é a mesma desgraça de sempre: marxismo, anticristão. Evangélico de esquerda é uma incoerência tão absurda, que comunistas puristas não engolem.

O comunista deputado federal do PSOL Marcelo Freixo publicou em seu perfil no Instagram um card com a foto de Wesley Teixeira e os dizeres: “Meu candidato em Duque de Caxias é Wesley Teixeira. Conheço ele desde menino. É jovem, negro, evangélico e educador. Qualquer tentativa de prejudicar sua candidatura é absurda e inaceitável”. Qual foi a reação da militância de Esquerda? Transcrevo comentários feitos no post de Freixo…

Evangélico e educador não são antônimos?” “Basta: é jovem, negro e educador. Evangélico não é qualidade boa no meio de tantos maus exemplos dentro da política” “Adoro o Freixo, mas num estado laico isso não deve ser uma variável na equação”. “O cara que processe sua religião em casa ou nos seus templos, não na política”. “Evangélicos não fazem autocrítica. A religião deles promove todo tipo de ódio e intolerância a minorias, e não podemos criticá-los pois, se fizermos, estamos ‘generalizando’ e ‘sendo preconceituosos”.

Ah, tenha dó!”. “Mais (sic) evangélico é de direita!”. “Depois de séculos de esforço, conseguimos trazer a maioria dos católicos para o mundo civilizado. Com os evangélicos tem que ocorrer a mesma coisa”. “Perdeu muitos pontos por ser evangélico. Estado Laico Freixo. Lembre se disso”. “A comunidade evangélica é podre. Quem é desse meio e se recusa a fazer uma análise crítica, é oportunista”. “Acredito que se os evangélicos querem entrar para esquerda, eles precisam mudar. Precisam entrar para o mundo civilizado, como os católicos vêm fazendo”.

Fariseus adoradores do dinheiro alheio”. “Evangélico e de esquerda? Tem algo errado aí!”. “Parei de ler em evangélico. Política e religião não combinam”. “O grande problema dele é ser evangélico”. “Freixo o está apoiando acredito que seja uma boa pessoa mas seria melhor pra ele tirar essa descrição de evangélico afinal ele deve ter muitas outra qualidade melhores que essa”. “Sem dúvida ele tem, ser evangélico é a última ‘qualidade’ dele”. “Não entendo, um estado laico infestado de evangélicos, adoradores da bíblia”. “Que pena que é evangélico!!!! Se fosse livre seria melhor!!!!!

De forma alguma irei criticar o comportamento cristofóbico, preconceituoso, e o discurso de ódio de militantes comunistas em relação à “evangélicos” que querem entrar para a esquerda. Eu sou obrigado a elogiar a sinceridade e coerência desses militantes do PSOL que se indignaram com a maquiavélica, hipócrita, demagoga, e oportunista posição de Marcelo Freixo. Honestidade é historicamente uma qualidade rara na Esquerda.

Diante da polêmica, da falácia de “evangélicos” de esquerda, faço a seguinte pergunta: O que é mais incoerente? Marxista se dizer cristão evangélico ou falso cristão evangélico se dizer marxista? Na pergunta retórica a ordem dos fatores não altera o produto…

Participe da conversa

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui