Brasil cristofóbico?

0
259
Terroristas do Estado Islâmico do Iraque e da Síria (Isis) decapitam 21 cristãos egípcios na Líbia, em 2015 (Foto: Reprodução).

Sereis odiados de todos por causa do meu nome; aquele, porém, que perseverar até ao fim, esse será salvo. Mateus 10:22

O discurso do presidente Bolsonaro na ONU deixou a Esquerda irritada, e isso é um bom sinal. A Folha de São Paulo, carinhosamente chamada de Foice de SP, veio com a matéria: ”Cristofobia citada por Bolsonaro em discurso na ONU, contradiz dados brasileiros. No Brasil, maioria dos casos de intolerância religiosa tem como alvo crenças afro-brasileiras” por Laura Castanho.

A Foice de SP como sempre traz mais do mesmo, o princípio do filosofo alemão Arthur Schopenhauer, que na ausência de argumentos disse que seja ainda possível vencer um debate mesmo estando completamente errado, basta desqualificar o adversário. Ela tenta desqualificar o Bolsonaro, alegando que aqui não existe cristofobia, afinal somos segundo o IBGE cerca de 87% de cristãos. O presidente falou uma verdade sobre o mundo, e, sim, existe cristofobia no Brasil e ela está crescendo.

O que é perseguição cristofóbica? Em ditaduras socialistas comunistas como na Coreia do Norte, a perseguição cristofóbica é sincera. Aqui no Ocidente, em “democracias”, ela se manifesta de forma subliminar, não declarada e até mesmo negada ou relativizada. Esse é o paradoxo brasileiro onde a maioria cristã sofre de perseguição cristofóbica. Dizer que no Brasil não existe cristofobia é o mesmo que dizer que não existe racismo.

O preconceito cristofóbico existe, principalmente por uma elite cultural de viés ideológico de Esquerda. Seja no meio acadêmico nas universidades, na produção cultural, na mídia, no sistema judiciário, principalmente no STF, todos devidamente aparelhados por uma Hegemonia Cultural Marxista de Antônio Gramsci.

O discurso do politicamente correto é anticristão, o Cristianismo é por natureza conservador, oposição natural ao avanço das pautas progressistas da Esquerda, como ideologia de gênero, liberação das drogas e descriminalização do aborto. A Esquerda despreza o Cristianismo considerado por ela retrógrado. O Cristianismo é a oposição ao avanço da Esquerda.

A Esquerda precisa neutralizar o cristianismo. Além de todo o bombardeio, acadêmico dentro de sala de aula e midiático com a Cultura do Cancelamento, temos o mais grave de todos, o ativismo judicial dos ministros militantes marxistas do STF que vão impondo a passos largos a Ditadura da Toga contra o Cristianismo. Basta ver a absurda, ilegal, decisão da ADO 26, onde a teologia cristã foi criminalizada, e a liberdade de expressão, causa pétrea em nossa Constituição foi censurada.

O preconceito cristofóbico no Brasil está crescendo e uma perseguição estruturada e sistemática contra cristãos começa a se manifestar, bastar lembrar do artigo: ”Essa gente incômoda” da Revista Veja em 2017. Foi de uma gravidade absurda. Imaginem se alguém escrevesse um artigo: ”Essa gente NEGRA incômoda”?

Somos atacados o tempo todo, e sempre o patético conceito abstrato de um Estado Laico é usado e abusado para justificar o preconceito velado, que também se manifesta no humor, basta lembrar o especial de fim de ano do grupo “Porta dos Fundos” para a Netflix. No Brasil, o cristão protestante, evangélico, principalmente o crente neopentecostal sapatinho de fogo pobre que vive nas periferias é sempre alvo de deboche por parte de intelectuais de Esquerda.

Como sempre alguns socialistas infiltrados no meio evangélicos desqualificaram a fala do presidente, dizendo que aqui as igrejas estão abertas. Sim, ainda é uma verdade, e não temos cristãos ainda sendo presos, torturados e mortos. Ainda? Essa linha de raciocínio de que não existe preconceito cristofóbico é um sofisma.

Vamos comparar com o racismo? Nos últimos 70 anos não tivemos no Brasil um racismo institucionalizado como o Apartheid na África do Sul, ou leis segregacionistas como nos EUA. Aqui os negros não são impedidos de entrar na universidade por serem negros. Uma mulher negra como Rosa Parks não precisa ceder o seu lugar no ônibus a um homem branco. Aqui em repartições públicas não temos banheiros separados para pessoas negras como no Pentágono. Então não existe preconceito racial no Brasil? É claro que ele existe.

O preconceito cristofóbico existe sim no Brasil, o fato de ainda não termos uma perseguição legalizada não significa que não esteja sendo construída uma perseguição até institucionalizada. Movimentos de Esquerda, como o LGBT, a mídia que é progressista e de Esquerda e principalmente o STF estão trabalhando a favor da cristofobia no Brasil.

A narrativa no Brasil sobre os cristãos, principalmente os evangélicos é preconceituosa, somos ridicularizados por sermos conservadores, taxados de retrógados, e agora até mesmo de fascistas ou termos novos como Cristofascismo e cristifascismo, termos pejorativos usados por comunistas infiltrados. É um paradoxo, o Brasil de maioria cristã é sim cristofóbico. Correta a fala do presidente.

Participe da conversa

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui