Posicionamento político também demonstra caráter

0
94
Manifestações de 31 de maio de 2020, domingo. À esquerda o movimento Antifa em São Paulo e à direita famílias em Brasília.

Graças às mídias sociais e à facilidade de comunicação digital a distância, temos tido a possibilidade de fazer novas “amizades”, vínculos e conexões, mas será que temos como conhecer quem uma pessoa é, em seu caráter e convicção dessa forma tão distante?

Ao apoiar uma ideia ou ideologia, o ser humano sempre irá defender aquilo com o qual se identifica em algum grau de profundidade, coadunando com práticas, pensamentos, teorias, ideologias e costumes, mostrando, pelo menos superficialmente, qual parâmetro rege sua vida, ou no mínimo quais princípios e padrões ele gostaria de seguir, mesmo que por muitas vezes não o faça, ou por falta de força psicológica em meio ao seu círculo social, por falta de força de vontade ao ceder àquilo que sabe ser errado, ou mesmo por hipocrisia moral, mas fato é que se pode conhecer a nata dos pensamentos e com isso a previsão de caráter.

Se em sua posição política alguém aceita, apoia ou milita a favor de princípios e estruturas que defendem morticínio, desestabilização do indivíduo, deslealdade, amoralidade (ou imoralidade), despersonificação do ser humano, despropósito individual, desrespeito e demais desordens das leis naturais; esse tal indivíduo não possui fortes valores opostos a estes, ou pode ser inclusive apoiador estrutural de uma ou mais dessas vertentes de inversão de valores.

Aquele que não se posiciona em correntes de pensamento ou ideias, por vezes o faz por falta de capacidade em ir contra a maioria, de ser mal visto, perder status social, parecer errado aos olhos de outrem, ou mesmo por não querer passar a imagem de desequilibrado. Outras vezes o faz por falta de conhecimento dos objetivos e propósitos que inevitavelmente motivaram a implementação de um projeto político-social. Ainda existem os que ingênua e infantilmente, não conseguem ver as consequências de uma atitude, que lhe parece o estímulo à liberdade, mas confunde com libertinagem alienadora e encarceradora.

Fui advertida ainda, por um conhecido, que muitos dos que se proclamam isentos lucram financeiramente com ambos lados de posicionamentos políticos, não arriscando perder apoio por serem vistos como adversários, ou chatos. Sacrificam seus valores por lucro.

Se, caso for possível mensurar, nota-se que o conhecimento necessário para defesa declarada a um posicionamento político leva à nítida conclusão que há a demonstração de um caráter, moral e personalidade.

Avaliar o que se defende, também é avaliar quem o defende.

Espero que essa minha pequena explanação de pensamentos possa ajudar alguém nesses tempos tão bélicos e inquietos.
Fiquem com Deus! 

Participe da conversa

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui