Pensemos em saúde em vez de economia

0
137
Manifestante segura cartaz em Recife (Pernambuco) durante protesto em 20 de junho de 2013. (Foto: Yasuyoshi Chiba)

Por Manoel Luiz Neto.

Vamos pensar em saúde pública e esquecer a economia por um segundo!

Recentemente o CEO da XP investimentos estimou em 40 milhões o desemprego causado pelo corona vírus.

Vocês tem alguma ideia de como o desemprego afeta a saúde das pessoas? Vocês sabiam que um estudo sueco mostrou aumento de duas vezes na mortalidade global para desempregados?

Um outro estudo europeu mostrou que a mortalidade cardíaca é maior para doentes desempregados que para aqueles que tiveram diabetes ou derrame cerebral?

Tem ideia que morbidade pulmonar em um estudo espanhol foi duas vezes maior nos desempregados?

Sabiam que o Fórum Econômico Mundial estima que o desemprego cause 45.000 mortes por ano?

Por fim, a mortalidade para pacientes com HIV aumentou 0,71 para cada aumento de 1% no desemprego…

Caso o governo mantenha o apoio financeiro ao SUS com o decreto de calamidade, caso isole e teste os idosos e aqueles em grupo de risco, caso teste mais sintomáticos e isole-os, terá feito mais pela saúde pública que aqueles que fecharam 45 mil leitos de atendimento no SUS nos últimos 13 anos.


Referências

https://www.weforum.org/agenda/2015/02/the-link-between-unemployment-and-suicide/

https://www.escardio.org/The-ESC/Press-Office/Press-releases/unemployment-associated-with-50-higher-risk-of-death-in-heart-failure-patients

https://erj.ersjournals.com/content/11/6/1363

https://bmjopen.bmj.com/content/3/7/e003031

https://journals.sagepub.com/doi/10.1177/2054270416685206

Manoel Luiz Neto é médico e mestre em Saúde Pública pelo Hospital Sírio Libanês.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui