Olavo de Carvalho participa do Fórum dos Conservadores

1
314

O filósofo Olavo de Carvalho participou nesta sexta-feira (13/03) do I Fórum dos Conservadores de Goiânia através de videoconferência. Respondendo a diversas perguntas dos participantes, ele encerrou a programação do primeiro dia do evento.

O dia de atividades se iniciou com o lançamento do livro A Secessão do Brasil do Império Português: ideias, cenários políticos e linguagens pelo historiador João Corrêa Neves Jr. O escritor falou à plateia traçando um paralelo entre a segunda década do século XIX e o período atual no Brasil, e ao final levantou o questionamento “como deve um povo se posicionar diante de um congresso que não admite a emancipação poluição de um povo”?

“Marxismo é a justificativa para o mau-caratismo humano”

Os participantes do Fórum dos Conservadores foram surpreendidos com uma rápida palestra de Marco Frenette, jornalista que foi chefe da Assessoria de Comunicação da Secretaria Estadual de Cultura durante a gestão de Roberto Alvim, que falou sobre a Guerra Cultural evidenciada no Brasil durante os últimos anos.

Frenette destacou os diversos motivos que levam o pensamento progressista a prevalecer em praticamente todos os ambientes de formação cultural. “A genialidade da esquerda não pode ser ignorada, mas deve ser compreendida para ser derrotada”, asseverou.

Para ele, a forma que os conservadores enxergam o marxismo é uma forma ingênua, que foca apenas em pontos técnicos (como o econômico, dentre outros) mas se esquece totalmente do didaticismo da esquerda. Frenette considera uma deficiência, e não uma virtude, do conservadorismo a ausência de uma ideologia estabelecida.

A ideologia marxista é uma síntese da visão de mundo progressista, por isso é possível se ensinar este pensamento nocivo apenas com o livrete Manifesto Comunista, porém o pensamento conservador tem sido transmitido apenas através de anos de vida, o que o deixa em desvantagem, observou o jornalista. “Falta aos conservadores um conceito conciso de Conservadorismo”, analisa Frenette, e a inexistência de síntese do pensamento conservador o impede de ser transmitido em alguns anos de escolarização, deixando espaço exclusivo para a esquerda.

Frenette explicou que a natureza da esquerda é se esforçar para fazer as pessoas se descolarem da realidade e levá-las a lutar no campo deles. Ao fazer os conservadores crerem que é possível alguém ter uma ação puramente técnica e sem influência de ideologia, eles dominam sozinhos os meios de ação usando técnica para implantar a ideologia marxista. “Os conservadores conseguirão derrubar os progressistas apenas quando deixarem de usar as armas da esquerda”, concluiu.

Ministério Público sob avaliação

O cientista político Jean-Marie Lambert expôs no Fórum dos Conservadores como o Ministério Público tem atendido as diretrizes da ONU e consequentemente agido contra os interesses da sociedade brasileira. Jean-Marie relatou a censura que sofreu na PUC-GO e como os Ministérios Públicos estadual e federal apenas aplicaram o pacote ideológico esquerdo-globalista em vez de decidirem de acordo com o ordenamento jurídico vigente.

Nas próximas semanas Jean-Marie deve lançar o livro “Um Ministério Público para rir ou para chorar” onde apresenta evidências de como o Ministério Público tem funcionado primariamente como um partido político de esquerda.

A programação do sábado contará com palestras de Bernardo Küster, Percival Puggina e Taiguara Fernandes, dentre outros conferencistas, além de uma oficina de cartazes para manifestações políticas. Os ingressos continuarão sendo vendidos no local.

1 COMENTÁRIO

  1. Kayte, bom dia! Parabéns pela realização do Forum – tomara que tenham muitos outros!
    Fico imaginando se esses eventos pudessem ser disponibilizados em vídeos (monetizados, claro!); seria fantástico. Fica a dica…
    Abraço!

Participe da conversa

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui